Compartilhar:

Joia imortalizada

31/03/2015 Beleza - Por: Márcia Queirós

Há quase 4 décadas no mercado, a joalheira Tiana Rocha eterniza suas criações em um book table para presentear clientes e interessados na arte das joias. A publicação com 60 páginas, lançada em abril, traz fotos de mais 100 peças criadas pela mineira, dona da Tianelle Joias. “Vai além de um catálogo de lançamento de coleção. É algo para guardar”, descreve a joalheira sobre o livro de mesa. A ideia de optar pelo formato mais denso, para divulgação dos trabalhos, vai ao encontro da proposta da marca, que tem como carro-chefe as joias clássicas.

“Trabalhamos, sim, com peças modernas e esportivas, para o dia a dia, mas nosso foco são as joias eternas, passadas de mães para filhas, que podem ser usadas em qualquer época e ocasião”, diz Tiana. Entre as peças atemporais, estão alianças; solitários de pedras brasileiras, como safiras, rubis e esmeraldas, e pulseiras clássicas de brilhante. Não falta também o velho e bom colar de pérola, insequecível em Audrey Hepburn, no clássico filme Bonequinha de Luxo, em 1961, e presente também no look de musas contemporâneas, como Sarah Jessica Parker.

Os acessórios de Tiana Rocha, aliás, compõem o guarda-roupa de mineiras poderosas. “Hoje atendo as filhas das primeiras clientes”, conta a joalheira, que começou no ofício há 37 anos. Há 2 anos, Tiana atuava no mercado atacadista, produzindo joias para outras lojas, até que lançou marca própria, no Belvedere, região Centro-Sul de Belo Horizonte, onde atende clientes com hora marcada.

A filha, Caroline Rocha Reis, 26, segue os passos da mãe no mundo do ouro e das pedras. Depois de se formar em design gráfico pela Nuova Accademia di Belle Arti, em Milão, na Itália, Caroline dedica-se à Tianelle Joias. Além de criar peças, mãe e filha dedicam-se ainda à remodelagem. Lá as clientes podem fazer, por exemplo, a troca de um ouro velho pela joia nova. “Estou passando o meu maior legado, o amor às joias, para minha filha”, diz Tiana.

Criação da Tianelle Joias: design primoroso. Fotos: Jefferson Vilela Moysés (Xará)